Pingafogo

Pena de Morte

1 – O Espiritismo é favorável à pena de Morte?
É frontalmente contrário. Lembrando Jesus, os doentes devem ser medicados, não eliminados.

2 – Se assim é, por que Moisés instituiu a pena de morte para determinados crimes?
Nos Mandamento, da Tábua da Lei, recebida pelo próprio Moisés, no Monte Sinai, base da justiça humana, está registrado que não é lícito ao homem matar o semelhante. Ao instituir a pena de morte ele sobrepôs sua vontade aos desígnios divinos, num lamentável exemplo do faça como falo, não como faço.

3 – A pena de morte não pode funcionar como uma medida extrema de contenção da criminalidade?
A experiência demonstra que onde ela é instituída não há redução nos índices de criminalidade. A razão é simples: nenhum criminoso cogita da possibilidade de ser preso. Sente-se sempre mais esperto do que os representantes da lei.

4 – De qualquer forma não teríamos um criminoso a menos?
É uma ilusão. O criminoso executado ganha o benefício da invisibilidade e passa a assediar pessoas com tendência a criminalidade, ampliando-a.

5 – Mas o criminoso executado não é confinado em regiões purgatoriais, á distância das cogitações humanas?
Em princípio ele tende a ficar na crosta terrestre, envolvido com suas paixões e vícios, ligando-se a pessoas que guardam suas mesmas tendências, exacerbando-as.

6 – Esses criminosos desencarnados também formam grupos no Além?
Sim, atendendo ás suas tendências e causam estragos no psiquismo humano, na medida em que as pessoas se mostrem vulneráveis, psiquicamente, à sua influência.

7 – Enquanto encarnados, sua motivação era o dinheiro? E quando desencarnados?
O exercício do poder, o prazer em dominar, e, também, o atendimento de viciações cultivadas durante a existência, induzindo suas vítimas ao cultivo de vícios, para que, ligados a elas psiquicamente, possam também se satisfazer.

8 – Em relação aos criminosos encarnados, trancamos nossas casas e nos cercamos de medidas de prevenção. E quanto ao desencarnados?
Seria “fechar” a nossa casa mental às suas investidas, cultivando os valores do Bem e da Verdade, definidos por Jesus em suas lições. Toda influência espiritual relaciona-se com o fator sintonia. Se sintonizarmos com os bons, os maus não terão acesso à nossa Alma.


 

2010 - Richard Simonetti