Pingafogo

Sonhos

 1 –          quem diga que durante o sono temos contato com o mundo espiritual. É possível?

                               Essa é a realidade demonstrada pela Doutrina Espírita.  Quando dormimos, podemos transitar pelo Além. Por isso costuma-se dizer que o sono é um mergulho na eternidade.

 

2 –          Os sonhos são lembranças de nossas atividades no plano espiritual, durante o sono?

                               Nem sempre. Diríamos quetrês tipos de sonhos: fisiológicos, psicológicos e espirituais, definindo situações diferentes que nos envolvem durante o repouso noturno.

 

3 –          O que é o sonho fisiológico?

                               É aquele que dramatiza algo que acontece com nosso corpo. Se está frio e nos descobrimos, sono pesado, sem despertar, poderemos nos ver num campo de neve, tiritando. Pessoas com incontinência urinária sonham que estão satisfazendo essa necessidade fisiológica, enquanto molham a cama. Adolescentes sonham que estão mantendo relação sexual quando experimentam poluções noturnas, naturais em sua idade.

 

4 –          O que é o sonho psicológico?

                               É aquele que exprime nossos estados íntimos. Nos velhos tempos, em que não havia os recursos da informática, eu passava dias e dias procurando diferenças nas fichas gráficas de contas correntes, no Banco do Brasil, onde trabalhava. À noite sempre me via, durante o sono, na agência, repetindo intermináveis verificações. Era a dramatização de meu envolvimento com aquele problema.

 

5 –          E o sonho espiritual?

                               É o resíduo de uma atividade desenvolvida pelo Espírito, afastado do corpo durante o sono. Kardec denomina essa situação como emancipação da alma.

 

6 –          Como podemos saber se um sonho exprime uma atividade espiritual ou se trata de simples dramatização de situações fisiológicas ou psicológicas?

                               Os sonhos de caráter fisiológico ou psicológico são fugidios, mal delineados. Os sonhos espirituais são mais nítidos, mais claros. Guardamos melhor. E um detalhe: geralmente são coloridos, o que não costuma ocorrer com as demais formas, que se apresentam em branco e preto.

 

7 –          sonhos repetitivos. A pessoa se sempre na mesma situação, não raro dramática. Está se afogando, ou envolvida num incêndio, ou sofrendo um acidente. Tem algo a ver com o mundo espiritual?

                               Chamam-se recorrentes os sonhos repetitivos. Geralmente envolvem uma experiência dramática, em passado próximo, na vida atual, ou remoto, em vidas anteriores. Esses registros, sepultados no inconsciente, podem aflorar na forma de sonhos, principalmente quando passamos por alguma tensão ou preocupação exacerbada.

 

8 –          Freud concebia que, interpretando os sonhos de seus pacientes, poderia ajudá-los a vencer traumas e desajustes. É possível?

                               Freud estava no caminho certo. Faltou-lhe a crença na imortalidade e na reencarnação para perceber que sonhos perturbadores podem ter origem em influências espirituais ou em reminiscências de vidas anteriores.

 

Livro Espiritismo, tudo o que você precisa as saber


 

 

2010 - Richard Simonetti