Pingafogo

Contato com os Espíritos

1 – Desde quando há o intercâmbio com o Além?
Desde o aparecimento do Homem. Está em todas as culturas. No Velho Testamento, ressalta o contato de Saul com o Espírito Samuel, na famosa consulta à necromante de Endor.

2 – Necromante?
Era o nome que se dava às pessoas que conversavam com os mortos. Usava-se também a expressão pitonisa, mulher capaz de adivinhar o futuro.

3 – Ela adivinhou o futuro de Saul?
Mais exatamente, transmitiu a manifestação do Espírito de Samuel, que anunciou, inclusive, que Saul morreria no dia seguinte, numa batalha contra os filisteus.

4 – Então o Espiritismo não trouxe novidade nesse particular?
A novidade foi a disciplina desse intercâmbio, estabelecendo normas para que seja cultivado de forma produtiva, favorecendo um melhor entendimento a respeito da vida no Além e da relação que há entre o plano físico e o espiritual.

5 – Que dizer da proibição de Moisés, que ameaçava com a pena de morte aqueles que evocassem os mortos?
Moisés ameaçou muita gente com a pena de morte, até mesmo os que se atreviam a realizar qualquer tarefa no sábado, algo inconcebível nos dias atuais. Legislou para o seu tempo, para as necessidades de sua época. Nada tem a ver com os dias atuais.

6 – Mas não era Deus quem o inspirava?
Dizer que Deus inspirava normas como cortar a mão dos que roubavam ou condenar à morte por apedrejamento a mulher adúltera, seria amesquinhar o Criador. Moisés tinha o mau hábito de atribuir ao Todo-Poderoso suas extravagâncias, a fim de que fossem observadas.

7 – Por que Moisés proibiu o contato com os mortos?
Os judeus estavam viciados em consultar os Espíritos, a pretexto de interesses pessoais. Ao invés de coibir os abusos, Moisés encasquetou de suprimir o intercâmbio. Foi um erro. Agiu como um pai que proíbe o filho de comer porque ele se comporta mal à mesa. Seria mais razoável ensinar-lhe boas maneiras.

8 – Ante a propagação das idéias espíritas, a teologia ortodoxa acabará por reconhecer a possibilidade de contato com os mortos?
Sem dúvida. Dia virá em que os teólogos lamentarão o tempo perdido e a veemência com que combateram esse intercâmbio. Se o exercitassem, seriam menos especulativas e mais condizentes com a realidade suas idéias a respeito da Vida Espiritual.

Livro Espiritismo, Tudo o que Você Precisa Saber


 

2010 - Richard Simonetti