Pingafogo

Desajustes Espirituais

1 – É comum a pessoa com problemas, envolvendo depressão, angústia, doenças crônicas, ser informada no Centro Espírita: “você é médium”. Deve desenvolver sua mediunidade para sarar?
É o que dizem os dirigentes espíritas menos avisados. Não podemos confundir desajuste espiritual com mediunidade a desenvolver.

2 – Mas há casos em que a pessoa vivencia fenômenos espirituais, vendo e sentindo os Espíritos…
Se estiver tensa, doente e nervosa, em face de seus problemas existenciais, experimentará uma superexcitação psíquica que poderá levá-la a ver e sentir o mundo espiritual. Não significa que tenha mediunidade a desenvolver.

3 – O que deve fazer?
Tratar-se espiritualmente, procurando um Centro Espírita bem orientado, onde funcione o “atendimento fraterno”, e um companheiro esclarecido a oriente quanto às providências necessárias em favor de sua estabilidade física e psíquica.

4 – Ao falar em Centro Espírita bem orientado você quer dizer que há os que não têm boa orientação?
Infelizmente, sim. Nem sempre os dirigentes preocupam-se com o estudo das obras básicas da Doutrina, particularmente O Livro dos Médiuns, em se tratando de mediunidade. Fazem um Espiritismo “à moda da casa”, distanciando-se das normas.

5 – Como a pessoa vai saber se seus problemas são decorrentes do desabrochar de uma faculdade mediúnica ou mero fruto de desajustes espirituais?
Em princípio não deve se preocupar com isso. Ainda que tenha mediunidade a desenvolver, é fundamental que faça o tratamento espiritual e supere seus desajustes. Depois se cogitará dessa possibilidade.

6 – Mas, se for médium, como poderá ajustar-se sem freqüentar reuniões mediúnicas?
Seu equilíbrio não está subordinado a essa participação. Sua presença, em princípio, é contraproducente. Se for médium, ampliará sua sensibilidade, sem saber como controlá-la. Acentuará os próprios desajustes.

7 – No que consiste esse “tratamento espiritual”? Basicamente, seria a aplicação de passes magnéticos, o encaminhamento de seu nome às reuniões mediúnicas adequadas a essa assistência, o uso da água fluidificada e a assimilação de orientação doutrinária, envolvendo reuniões públicas e leitura de livros espíritas indicados.

8 – Não raro a pessoa está sob cuidados médicos. Como fica?
Deve ser alertada de que o tratamento espiritual não dispensa o concurso do médico. Psiquismo exacerbado por influências espirituais ou desajustes mediúnicos têm repercussão no corpo físico, originando, não raro, problemas que exigem a atenção de especialistas. O ideal, portanto, será conjugar ambos os tratamentos.

2010 - Richard Simonetti