Pingafogo

Sessões Mediúnicas

1 – Você esteve em Matão, para um seminário sobre reuniões mediúnicas. Agora está lançando um livro sobre o assunto (Mediunidade, Tudo o que Você Precisa Saber). Que importância atribui ao contato com os Espíritos?
O Espiritismo nasceu desse intercâmbio. A Doutrina dos Espíritos, como o próprio nome sugere, veio de lá. Imperioso, portanto, que nós, espíritas, sustentemos essa porta de contato com o mundo espiritual, participando regularmente das reuniões.

2 – Que dizer de Centros Espíritas que suprimiram o intercâmbio com o Além, sob a alegação de que o tempo do fenômeno já passou? Afirmam seus dirigentes que devemos partir para a aplicação dos princípios espíritas no meio social.
Estão equivocados, pretendendo fazer um Espiritismo sem os Espíritos. Incorrem no mesmo engano dos cristãos que, envolvendo-se com a prática exterior, pretenderam fazer um Cristianismo sem o Cristo. Sabemos dos resultados lamentáveis desse equívoco.

3 – O Cristo estava presente nas reuniões mediúnicas cristãs?
Sem dúvida, representado pelos Espíritos superiores que se manifestavam com a denominação genérica de Espírito Santo. Assim como acontece no Espiritismo, utilizavam-se dos médiuns, chamados então profetas.

4 – Você entende que a supressão desse intercâmbio foi o motivo dos desvios do Cristianismo?
Um dos principais, particularmente na formulação da teologia cristã. Sem informações da Espiritualidade, pelo contato mediúnico, os teólogos desenvolveram idéias especulativas, resultando numa teologia fantasiosa, fixada irremediavelmente pelo dogma, esse instrumento terrível de aniquilamento da razão.

5 – Considerando que a Doutrina espírita não corre esse risco, já que está convenientemente estruturada, a partir dos livros da codificação e complementares, que prejuízos poderiam advir da supressão do intercâmbio com o Além?
Perderíamos a possibilidade de ampliar horizontes, já que estamos longe de conhecer toda a realidade espiritual. Deixaríamos, também, de receber ajuda mais efetiva dos mentores espirituais e jogaríamos fora a maravilhosa oportunidade de exercitar a caridade, no atendimento aos Espíritos sofredores.

6 – Todo espírita deve participar de reuniões mediúnicas?
O bom senso nos diz que sim, em face dos benefícios que nos oferece. Acresça-se o fato de que o contato com os Espíritos sofredores que pululam na psicosfera no planeta é uma permanente advertência quanto aos cuidados que devemos ter com a nossa vida, a fim de não enfrentarmos problemas idênticos quando chegar a nossa hora.

7 – Se todos os espíritas desejarem freqüentar as reuniões mediúnicas teremos dificuldades, principalmente nos centros maiores. Como atender a tanta gente?
Instituindo tantos grupos mediúnicos quanto necessários, em variados horários e dias da semana, atendendo às disponibilidades de espaço da casa espírita.

8 – Não partiríamos aí de um extremo a outro, do negligenciamento para a banalização?
Banalizar é cultivar o intercâmbio a propósito de interesses imediatistas, transformando a reunião mediúnica em consultório do Além. Infelizmente isso acontece em alguns Centros, não por terem muitas reuniões, mas porque não se dão ao trabalho de estudar. O contato com os Espíritos deve ser precedido de aprendizado em cursos específicos, conscientizando os participantes de que esse intercâmbio objetiva, sobretudo, nossa edificação, como ensinava o apóstolo Paulo.

2010 - Richard Simonetti