Pingafogo

A Foto de João Paulo

01- Vem agitando os meios de comunicação uma foto em que aparece o espírito João Paulo, cantor sertanejo falecido recentemente, ao lado de seu parceiro Daniel, num show realizado em Lençóis Paulista. Qual a sua participação no episódio?
Aquela cidade fica perto de nossa Bauru, onde o “jornal da cidade” deu um furo de reportagem, editando um caderno dedicado ao assunto. Foram publicadas duas fotos, nas quais se vê, com nitidez, o cantor desencarnado. Constaram, também, entrevistas de um sacerdote católico, de um parapsicólogo e a minha, comentando o fenômeno. A partir daí fui solicitado pelos meios de comunicação, inclusive a Globo, no Domingão do Faustão.

02 – O que disse o parapsicólogo?
Seria para ele um fenômeno de ideoplastia, uma imagem formada pela mente dos fãs que, saudosos, imaginavam o cantor presente, ao lado de seu parceiro. Sabemos que esse fenômeno pode ocorrer, mas fica difícil explicar por que não aconteceu no primeiro show solo de Daniel, logo após a morte de João Paulo, quando a emoção era muito maior. E como o fenômeno foi registrado por uma câmara fotográfica, já que a suposta ideoplastia não foi visível. Portanto, não podia impressionar a objetiva.

03 – E o sacerdote?
Foi bastante lacônico, limitando-se a dizer que a manifestação dos espíritos é impossível porque está nas escrituras que Deus não permite.

04 – Onde estão as Escrituras?
É o nome que se dá à Bíblia nos círculos religiosos. O sacerdote refere-se à legislação mosaica. era proibido, sob pena de morte, a necromancia, a evocação dos mortos. Diga-se de passagem, uma proibição que não tem nada a ver com a atualidade. Moisés legislava para o seu tempo e creditava a Jeová, o Deus judeu, os regulamentos que instituía.

05 – Não era a palavra de Deus?
Era a palavra de Moisés, atribuída a Deus. Jesus, inclusive revogou a proibição mosaica. Ele próprio conversava com os espíritos e afastava perseguidores de suas vítimas, como vemos em inúmeras passagens evangélicas. A primitiva comunidade cristã também cultivava o intercâmbio com o além. Eram freqüentes as intervenções dos espíritos superiores, que orientavam o movimento, denominadas, genericamente, manifestações do Espírito Santo.

06 – Moisés não era inspirado por Deus?
Era inspirado pelas necessidades da época, tanto que sua legislação é hoje mera lembrança, com exceção da tábua dos dez mandamentos, onde temos os fundamentos da justiça, a dizer ao homem o que não deve fazer. Seria inconcebível, por exemplo, aplicar-se na atualidade a Pena de Talião, a proibição de trabalho aos sábados, a segregação da mulher menstruada e do hanseniano.

07 – Quanto à foto, seria mesmo João Paulo?
No programa da Globo, um técnico procurou demonstrar que se tratava de mero fenômeno de dupla imagem do cantor Daniel. Pode ser, mas, como comentei ao ser indagado pelo Faustão, a figura que aparece atrás do Daniel está muito mais para João Paulo. O auditório concordou plenamente, o mesmo acontecendo com outros artistas que se apresentaram no programa.

08 – Como se daria o fenômeno?
Em princípio diríamos tratar-se de uma imagem ectoplásmica. Algum médium ou o próprio público presente forneceu os recursos fluídicos necessários para sensibilizar as lentes da máquina. Haverá outras possibilidades, mas sempre envolvendo o ectoplasma, já que se trata de um fenômeno de efeito físico.

2010 - Richard Simonetti